NEUROPSICOENERGÉTICA

O QUE É

Prática terapêutica integrativa e complementar que envolve uma análise corpo-comportamento para interpretar experiências mentais, emocionais, físicas e energéticas solidificadas em padrões comportamentais reativos distorcidos, consequências de um trauma. Lidar com a raíz dos problemas ao invés de tratar sintomas. Simples assim.

A saúde mental e emocional dependem, em grande parte, de um sistema nervoso saudável. Por isso, conhecer como o cérebro processa estímulos e informações do ambiente é essencial para a cura dos sofrimentos emocionais e reabilitação da saúde mental. A Neuropsicoeneergética é uma terapia orientada por propósito, com exercícios para processar gatilhos traumáticos em segurança e práticas vivenciais que promovem o bem-estar do corpo, da alma, da mente e do espírito.

Se você passou por alguma experiência traumática sabe bem da dor que elas causam, mas talvez não saiba que um trauma muda o cérebro. De acordo com pesquisas do National Institute of Health (www.niv.gov), o estresse traumático pode causar aumento da função da amígdala, diminuição da função pré-frontal medial e dominuição do hipocampo. O que isso significa na prática? E como a Neuropsicoenergética pode ajudar a resolver esses problemas?

A amígdala tem um papel importante no processamento de memórias, na tomada de decisões e na nossas respostas emocionais. Quando superestimulada, pode ficar ativada em estado de alerta, procurando e percebendo ameaças em todos os lugares.

 

O córtex pré-frontal afeta nossas habilidades de tomada de decisão, personalidade e até nossa vontade de viver. Quando o córtex pré-frontal medial não está funcionando adequadamente, ele afeta negativamente o controle dos nossos impulsos, a regulação do sistema nervoso, a capacidade de nos comunicar e empatizar com os outros, nossa autoconsciência e a equalização do medo.

 

O hipocampo consolida memórias de curto prazo em memórias de longo prazo. Hipocampo reduzido indica que células nele foram mortas e isso o torna menos eficaz em fazer conexões sinápticas (neurais) importantes. Quando isso acontece, o sistema nervoso simpático fica em alerta máximo, gerando fadiga no corpo, principalmente no sistema adrenal (glândulas suprarrenais). Depois do dano feito, ele pode ser desfeito? A resposta curta é sim. A neuroplasticidade, ou maleabilidade do cérebro, que permitiu o dano acontecer, pode ser usada para reabilitar o cérebro e permitir que a pessoa toque a vida pra frente – para isso, uma das  chaves é a terapia.

É preciso entender a natureza do trauma e o que precisa ser feito para superar seus efeitos no cérebro, assim a neuropsicoenergética une ciência* e espiritualidade** como caminho para integrar os4 corpos humanas: emocional, intelectual, físico e energética para promover uma existência coerente e livre de sofrimento.

*ciência é a atividade intelectual e prática que abrange o estudo sistemático da estrutura e do comportamento do mundo físico e natural por meio da observação e do experimento

**Espiritualidade é a crença de que há algo maior do que eu e a natureza observável, o reconhecimento de que no ser humano há algo além da experiência sensorial, e que o todo maior do qual fazemos parte é divino por natureza. O divino sendo o que se revela num estado de consciência muito sereno, profundo, perspicaz, inspirador, lúcido e com muita sabedoria.)

NEUROPSICOENERGÉTICA

PARA QUE SERVE

Para superar as limitações internas decorrentes de ansiedade, depressão e estresses para que a pessoa se liberte dos sofrimentos emocionais e consiga distinguir entre a voz libertadora da própria intuição e a voz restritiva do trauma e se engaje em relacionamentos seguros e mais satisfatórios.

Os comportamentos sintomáticos mais comuns de ansiedade, depressão ou estresses são:

  • Episódios de “branco”no tempo

  • Dissociação (“eu me observava fora do meu corpo”

  • Desesperança ou desespero

  • Sentimentos de pânico, medo e inquietação

  • Mudanças repentinas de humor

  • Sentir-se inútil.

  • Sentir-se em constante perigo

  • Flashbacks/lembranças de eventos traumáticos

  • Inquietação e agitação

  • Agorafobia (medo de sentir medo – evitar situações sociais por medo de ter crise de ansiedade ou pânico)

  • Incapacidade de cumprir adequadamente as tarefas pessoais e profissionais

  • Irritabilidade.

  • Eatado de alerta e reflexo de reação exagerado

  • Baixa auto-estima

  • Perfeccionismo

  • Isolamento social (não por imposição da pandemia)

  • Sensação intensa de abandono ou perda

  • Desejo de prejudicar a si mesmo

  • Perda de sentido de vida ou senso de propósito

  • Sentido distorcido de si mesmo ou do próprio corpo

  • Sentir que não pertence a lugar nenhum

  • Entorpecimento emocional 

  • Fadiga crônica, insônia, letargia, perda de interesse por atividades de rotina

  • Raiva crônica e surtos de raiva

  • Ressentimento

  • Não conseguir controlas os próprios impulsos (comida, bbida, midias sociais, drogas...)

  • Pensamentos intrusivos ou obsessivos

  • Terrores noturnos, pesadelos

  • Incapacidade de se organizar, planejar ou tomar decisões

NEUROPSICOENERGÉTICA

COMO FUNCIONA

Admitir para si mesmo que você precisa de ajuda, Disposição para se conectar com próprio corpo e coragem de sentir as emoções são o tripé da Neuropsicoenergética. O 1o. passo é entender o funcionamento do sistema nervoso autônomo (que  regula os processos fisiológicos involuntários, como a frequência cardíaca, pressão arterial, respiração, digestão, e excitação sexual) e contém três divisões anatomicamente distintas, os sistemas simpático, parassimpático e entérico.

Ao entender como o próprio cérebro processa estímulos do ambiente, a pessoa pode agir no sentido de atuar na causa de seus problemas para se libertar do sofrimento contido na Ansiedade, depressão e estresse.

 

Esse é um processo de avaliação do comportamento, condição de saúde física,

padrões de relacionamento interpessoal e gatilhos emocionais para descobrir o padrão distorcido de defesa e proteção criado pelo cérebro e então, forjar um novo padrão saudável, praticando exercícios que atuam diretamente na criação de novas conexões associativas no sistema nervoso – neuroplasticidade.

1) Admitir para si mesmo que você precisa de ajuda,        2) Disposição para se conectar com o próprio corpo e

3) Coragem de sentir suas emoções são o tripé da Neuropsicoenergética. O 1o. passo é entender o funcionamento do sistema nervoso autônomo (que  regula os processos fisiológicos involuntários, como a frequência cardíaca, pressão arterial, respiração, digestão, e excitação sexual) e contém três divisões anatomicamente distintas, os sistemas simpático, parassimpático e entérico.

Image by Priscilla Du Preez

Fase 1: Segurança e Estabilidade

A recuperação psicológica começa quando o cérebro reconhece que os lugares, coisas, pessoas e ambientes que desencadeiam reações e comportamentos contraprodutivos não são ameaças reais e não requerem a mesma resposta de luta ou fuga que um perigo real.

Nesta fase é estabelecida segurança mental, física, emocional e espiritual.

A pessoa aprende a lidar com emoções intensas, regular suas emoções e administrar seus medos com ferramentas que ajudam a reduzir a tentação de ceder a comportamentos de risco, como abusar da comida, drogas e álcool; e aprende a se restabilizar diante de seus gatilhos.

Fase 2: Memória e Luto

Depois de recuperar seu senso de segurança e estabilidade, a pessoa aprende a processar seu trauma e reconhecer suas perdas. Isso não significa reviver o evento tramático, mas explorá-lo e integrá-lo (ao invés de se dissociar dele) em um ambiente seguro.

 

Esse processamento psicológico ocorre em conjunto com a cura do corpo. Dores físicas ou problemas de saúde crônicos podem retardar a recuperação mental e emocional porque muitas vezes são uma fonte de gatilhos ou mecanismos de fuga.

 

Fase 3: Restauração de Relacionamentos

Durante todas as fases, estabelecer conexões e relacionamentos significativos é de extrema importância porque o sofrimento emocional afeta a maneira como nos relacionamos com o mundo. Assim, o estágio final da recuperação é a capacitação. Geralmente a pessoa teme não voltar a ser como era antes do incidente traumático, ou que não saiba como se relacionar após viver tanto tempo em “modo de sobrevivência” em relacionamentos disfuncionais. O processo todo é desenvolvido de forma a não deixar a pessoa desamparada e ajudá-la a desenvolver a autonomia para atingir a resolução cognitiva que a permita fazer as pazes com ela mesma e seguir em frente se envolvendo em relacionamentos saudáveis. Exercícios de práticas de reconexão afetiva ajudam a pessoa a voltar à vida normal (ou estabelecer um novo normal) e se relacionar de forma mais significativa e segura.

 

Se você teve uma experiência traumática, saiba que você não está sozinha(o). É possível se recuperar de um trauma e viver livre do aprisionamento da ansiedade, depressão ou estresses.

A missão da neuropsicoenergética é ensinar às pessoas um modelo de terapia complementar para que elas possam refazer suas conexões cerebrais integrando emoções, intelecto, corpo e espiritualidade para que o sistema nervoso processe estímulos e informações de um ponto de equilíbrio emocional em vez de um estado de alerta por medo e insegurança.

NEUROPSICOENERGÉTICA

BENEFÍCIOS

A neuropsicoenergética inclui terapias cognitivo-comportamental, somática, do esquema, familiar sistêmica, EMDR (Dessensibilização e Reprocessamento através do Movimento dos Olhos) e EFT (libertação emocional), bem como mindfulness, meditação, desbloqueio e alinhamento dos chákras, exercícios de respiração profunda e atividades sociais de apoio ao processo terapêutico. A vantagem de integrar essas estratégias é capacitar a pessoa a:

  • Lidar com traumas do passado sem ficar preso no passado.

  • Reduzir ou eliminar os sintomas de trauma, ansiedade, depressão e estresse.

  • Tirar o foco do passado e colocar no presente.

  • Melhorar a performance diária

  • Conseguir se autorregular e regular o sistema nervoso

  • Ter consciência de traumas hereditários (epigenética)

  • Recuperar seu poder pessoal

  • Superar vícios associados ao trauma, ansiedade e estresse

  • Desenvolver habilidades e adquirir ferramentas de enfrentamento que ajudam a prevenir recaídas.

© 2020 Christina Del Posso - Posso Muito Mais

  • LinkedIn